Aumentar texto Diminuir texto

O Projeto

O projeto Folias do Norte do Paraná documentou nove companhias de Reis desta região do Estado com o objetivo de registrar em áudio, foto e vídeo as práticas e os saberes destes grupos.

No período entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011, uma equipe de pesquisa acompanhou o giro das companhias, as visitas às casas, as chegadas de bandeiras, entrevistando foliões, moradores, anfitriões. Deste trabalho resultaram imagens e histórias da vida e das festas da região.

As folias, em sua organização e seus propósitos e percursos, traduzem os valores do homem do campo. Nas suas incursões anuais às pequenas comunidades e às casas dos devotos, levam mais que cultura: levam informações. Dão notícias dos amigos, reportam a situação econômica local, alimentam o diálogo e a oportunidade de encontro, reforçam um modo de vida e um sistema de valores ligados ao Brasil rural. Nestes delicados laços, tecidos ao longo de anos de amizade, de fé e de esperança, as companhias incorporam em suas visitas um papel de interlocutores nas comunidades.

Esses grupos dependem de sua própria organização e do apoio de seus pares para cumprir a tarefa do ano. Eles seguem enfrentando na região as recentes e intensas mudanças no contexto rural com os naturais reflexos nos microcosmos das folias de Reis.

A proposta de documentar as Folias do Norte do Paraná, realizada no âmbito do projeto de cooperação técnica entre o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), surgiu como demanda do Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural (Nead), integrando uma trajetória de pesquisa relacionada à valorização da memória e das manifestações culturais do campo. Ao compartilhar esses saberes e essas memórias, a documentação aqui disponibilizada contribui ao propósito da consolidação de uma agenda de desenvolvimento rural sustentável e solidário.

Registrar e divulgar, dando mais visibilidade a esta e outras tradições populares, traz diferentes pontos positivos. Entre eles, o de mostrar para a sociedade que o trabalhador rural tem uma participação expressiva na construção da história de seu país. Mais ainda, estimula a percepção de que o homem do campo tem uma identidade com o seu contexto que o leva a superar obstáculos e que, com frequência regular, ativa a memória cultural das comunidades por meio de suas expressões artísticas. Este projeto também busca contribuir para que o trabalhador rural se perceba como colaborador para maior inclusão social, um ser que chama a atenção para o seu contexto, que sabe cada vez mais da importância do patrimônio imaterial, que está interessado em fortalecer sua cultura.

Neste website, encontram-se os caminhos da pesquisa e os registros dos grupos que acompanhamos numa rota que inclui Londrina e Maringá, duas das principais cidades da região e do estado do Paraná. Nelas e entre elas, a presença do campo – latente nos homens e nas mulheres que colonizaram o Norte do Estado, desbravaram as matas, trabalharam na terra vermelha e construíram as cidades.